Escrito por : Antonio Auriemo

O Governo de Ronald Reagan

Ronald Reagan nasceu em fevereiro de 1911, em Illinois, EUA. Reagan foi o quadragésimo presidente do Estados Unidos de 1981-1989. Seu governo, marcado pelo liberalismo econômico e político, anti-comunismo e muito carisma, fez os Estados Unidos prosperar durante 8 anos.

Sua carreira pré vida pública lhe deu bases, para que se tornasse o “Grande Comunicador”, apelido este consagrado devido ao seu charme e carisma. Em 1937, Reagan prestou teste para a gravadora Warner Bros e nos próximos 27 anos, viria a interpretar mais de 50 personagens. De 1947 a 1952, esteve no posto de Presidente da União dos Atores de Cinema e lá lutou contra a infiltração comunista na indústria de entretenimento áudio visual.

Assim como o hostil clima político americano, as ideias de Reagan também oscilavam; ao começo da vida adulta Reagan filiou-se ao partido Democrata. Suas ideias mudaram drasticamente quando apoiou Barry Goldwater à Casa Branca, devido ao agravamento da Guerra Fria.

Na mesma época, Reagan também ficaria conhecido por seus discursos visando a importância de um Estado enxuto. Base para o que hoje muitos chamam de Neoliberalismo: “Foi exatamente isso que os Pais Fundadores procuraram minimizar. Eles sabiam que os governos não controlam as coisas. Um governo não pode controlar a economia sem controlar as pessoas. E eles sabem que quando um governo se propõe a fazer isso, ele deve usar força e coerção para atingir seu objetivo”, disse ele.

Em 1966, Reagan candidatousse a governador da California. Seu adversário, o Democrata Edmund Brown, político experiente que carregava nas costas muitos anos de vida pública, parecia ter a vantagem; especialmente, levando em conta que Reagan era um ator. Contrariando as expectativas, Reagan, com seu carisma, ganhou as eleições com uma margem de um milhão de votos.

Após oito anos de governo na Califórnia, onde conseguiu zerar o déficit primário que herdara de seu antecessor, Reagan era um dos nomes favoritos para disputar a corrida presidencial pelos Republicanos. Depois de ter ganhado as prévias de seu partido, concorreu contra o então presidente Democrata Jimmy Carter. O republicano tinha duas vantagens aparentes: Carter não soubera administrar a economia enquanto presidente (inflação havia crescido 12%) e não conseguira solucionar a crise de imigração iraniana.

Reagan usou isso ao seu favor e ganhou as eleições com pouco mais da metade dos votos válidos. Em seu primeiro discurso como presidente Reagan deixou claro sua determinação para re-ajustar as contas públicas, limitando o poder do Estado: “Nesta crise atual, o governo não é a solução para o nosso problema. O governo é o problema […] De tempos em tempos, fomos tentados a acreditar que a sociedade se tornou complexa demais para ser gerenciada por autogoverno, que o governo de um grupo de elite é superior ao governo para o povo. Mas se ninguém entre nós é capaz de governar a si mesmo, então quem entre nós tem a capacidade de governar outra pessoa?”

A presidência de Reagan foi marcada pelo crescimento econômico; no começo do mandato, seu governo aprovou um enorme corte de impostos. Juntamente ao corte de gastos e diminuição da máquina pública, fizeram a economia florescer novamente.

Quanto às relações internacionais, nos primeiros quatro anos, Reagan com seu furor anti-comunista feria cada vez mais a diplomacia com a USSR. Em um discurso na Flórida Regan apelou o líder soviético: “Secretário-geral Gorbachev, se você buscar a paz, se você procurar prosperidade para a União Soviética e Europa Oriental, se você buscar a liberalização, venha aqui para este portão. Sr. Gorbachev, abra esse portão.”

Já no segundo mandato, Reagan percebera que em tempos de Guerra Fria, suas afrontas ao regime ditatorial russo poderiam prejudicar relações com demais países. Em 1985, os líderes das duas potências encontraram se em Genebra e na Islândia. Reagan e Gorbachev assinaram diversos tratados que limitavam o desenvolvimento militar, especialmente de bombas atômicas.

Sem dúvida o maior discurso de Reagan fora o de despedida. Nele Reagan resume seu objetivo principal enquanto presidente: “We the people tell the government what to do, it doesn’t tell us […] Almost all the world’s constitutions are documents in which governments tell the people what their privileges are. Our Constitution is a document in which we the people, tell the government what it is allowed to do. We the people are free. I went into politics, in part to put my hand and say ‘stop’. I think we have stopped a lot of what needed stopping and I hope we have once again reminded people that men is not free unless government is limited. There is a clear cause and effect here that is predictable and the law of physics: the government expands, liberty contracts.”

4 Replies to “O Governo de Ronald Reagan”

  1. muito bom Antonio! as posições de Reagan vem bem de encontro com o que precisamos no pais hoje. Menos governo, e mais liberdade para a sociedade. Parabéns.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: