Escrito por : Antonio Auriemo

3a Cruzada (1189 d.C – 1192 d.C)

Depois da mal sucedida, 2a Cruzada, que aconteceu por causa da perda de importantes cidades cristãs (sem ser Jerusalém) que foram conquistadas na 1a Cruzada. O Oriente Médio estava unificado e forte, mas dessa vez com os Egípcios Fatímidas no poder, que conseguiram tomar a Terra Santa do domínio cristão. Então o papa Gregório VIII convocou mais uma Cruzada, que teve como líder, Ricardo I da Inglaterra, mais conhecido como Ricardo Coração de Leão.

O rei da Inglaterra entendia que o melhor jeito de retomar Jerusalém era de capturar o Egito primeiro, já que ali era a metrópole do Império Fatímida e o centro do poder islâmico. Porém como o Egito não tinha valor religioso para os cristãos, Ricardo não convenceu os soldados, de que aquele era um lugar estratégico para a reconquista da Terra Santa. Então, os cruzados marcharam para o Oriente Médio, e mesmo assim, conseguiram importantes vitórias, como o cristianização das importantes cidade de Jaffa e de Acre, contra o exército muçulmano controlado pelo sultão Saladino.

Cansados da guerra, que não havia tido muito avanços para nenhum dos dois lados, junto com o fato da invasão da Inglaterra pela França, fizeram o Ricardo I assinar um tratado com os Fatímidas. O tratado de Ramla deixava as cidades na costa do mediterrâneo já reconquistadas, em posse cristã, porém a Terra Santa continuava em posse islâmica, fazendo assim o grande objetivo, não sucedido.      

Mesmo não tendo conquistado a Terra Santa, a 3a Cruzada revolucionou completamente o espírito cruzadístico, pois os cristãos viram que a visão que o rei Inglês, Ricardo I teve no começo da guerra agora fazia sentido, isto é a tomada do Egito antes da Terra Santa. O foco agora das Cruzadas seria de não apenas conquistar e cristianizar Jerusalém, mas também todas as partes do império islâmico, e que incluíam o norte da África e o sul da Europa. E tal movimento de catequização dos muçulmanos foi posto em ação.  

Conclusão

O que podemos observar e extrair dos dois diferentes pontos de vista, é que as duas religiões estavam, em um certo momento, tentando expandir suas crenças a outros horizontes. Isso pode se explicar quando nos olhamos as épocas de que estamos falando, os dois grupos, que sustentavam os monoteístas, cristianismo e islamismo, eram muito e poderosos. Ambos pregavam no expansionismo político e a conversão de novos praticantes. Esses dois tipos de expansionismo tinham suas consequências, que foi muito derramamento de sangue. É estimado que quase 2 milhões de pessoas morreram durante as cruzadas, considerando que havia por volta de 400 milhões no mundo, o número de mortes causadas pelas cruzadas foi bem expressivo. Então nesse caso, não existe a vítima e o agressor, e sim duas vítimas e dois agressores.     

Com tudo isso dito, já que no final, as Cruzadas falharam em seus objetivos ao longo prazo, por que elas são tão importantes até hoje? A resposta dada pelo escritor John Green é a seguinte: “Para mim, as cruzadas são importantes, porque nos lembram que o mundo medieval era fundamentalmente diferente do nosso. Os homens e as mulheres, que tomaram a cruz, acreditavam na sacralidade de seu trabalho de uma forma que hoje em dia não podemos conceber. E quando focalizamos nossa atenção tanto, na narrativa heróica ou na narrativa anti-imperialista, ou em toda a luta política interna, podemos perder de vista o que as cruzadas devem ter realmente significado para os cruzados. Como a jornada, partindo da peregrinação até a guerra santa transformou suas fé e suas vidas.”

2 Replies to “As Cruzadas (parte 2)”

  1. Tô,

    Parabens pelo novo texto.

    Continuo a ter um aprendizado imenso com voce.

    O texto é claro e impressiona pela qualidade dos dados apresentados.

    Como vc bem coloca,morreram 2 milhōes de pessoas,que na proporçāo do mundo hoje,seria uma guerra para morrerem quase 50 milhōes …

    Nāo tenho certeza de qtos morreram na 2a. Guerra Mundial,mas este movimento das Cruzadas deve ter causado perdas do mesmo montante..e, eu nāo sabia…!

    Muito obrigado pelo ensinamento

    Abraço forte ,e um grande beijo , agradecido
    Fabio Auriemo

Deixe uma resposta para Fabio Auriemo Cancelar resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: