Escrito por : Antonio Auriemo

Marquês de Pombal e o Brasil

Sebastião José de Carvalho e Melo, mais conhecido como Marquês de Pombal (n.1699 ; m.1782) foi primeiro ministro português durante o reinado de D. José I. Em Portugal o Marquês introduziu várias medidas, positivas, de cunho iluminista, como o enfraquecimento da nobreza e igreja, e inclusive acabando com a inquisição. Embora muitas de suas medidas tenham sido úteis para a metrópole, não foram igualmente benéficas para as colônias.

Por volta de 1750 o Brasil era um país bem desenvolvido para uma colônia americana. A economia caminhava bem, graças a extração do ouro. No campo educacional e cultural, o Brasil mantinha uma estabilidade suportada, pela influência dos jesuítas. Pombal fez coisas que foram questionáveis para o desenvolvimento da nação brasileira, como a expulsão dos jesuítas e a cobrança da derrama do ouro brasileiro.

No século XVIII, Minas Gerais teve um grande crescimento cultural, em parte, por causa da atuação dos jesuítas na sociedade. Na cidade de Vila Rica por exemplo haviam várias universidades e escolas feitas e comandadas pelos padres. Graças a eles o Brasil tinha escolas de nível europeu. Com uma tentativa de acabar com a influência da igreja na educação e centralizar o governo de Portugal em suas mãos, o Marquês expulsou por volta de 700 religiosos do Brasil. Ele também mandou fechar todas as escolas e universidades, que foram criadas. Com a saída deles, o Brasil, regrediu em cultura e educação.

Outra medida tomada por Pombal, foi a cobrança da derrama. Em 1755, aconteceu em Lisboa um terremoto de magnitude 9, e por consequência um tsunami, que destruiu uma grande parte da cidade. Com a intenção de reconstruí-la rapidamente, o primeiro ministro contou com o ouro brasileiro. Então foi declarada a derrama. Todo minerador teria que pegar uma quantidade certa de ouro por ano, e quem não pagasse, poderia perder bens, em consequência. O Marquês de Pombal conseguiu reformar a capital no tempo previsto, contudo no Brasil as coisas ficaram bastante tensas. Indignados com a alta cobrança pelo ouro e sem ter mais como pagar, descontentes planejaram um dos mais famosos movimentos da história do Brasil, a Inconfidência Mineira. A revolução de fato não ocorreu pois um dos integrantes, delatou todos os companheiros. Porém se tivesse acontecido, muito sangue poderia ter sido derramado.

Quando Pombal expulsou os jesuítas, o Brasil retrocedeu em educação e cultura. E com a cobrança da derrama ele deu espaço para que uma gigante revolta quase tornasse a província de Minas Gerais independente. O Marquês de Pombal divide muitas opiniões, porém certamente suas ações junto a colônias portuguesas, entre elas o Brasil valem serem debatidas.

7 Replies to “O Marquês de Pombal e o Brasil”

  1. Antonio
    Uma delicia ler seus textos
    Esse sobre o marques de Pombal de uma maneira leve,, nos leva mesmo a uma reflexão sobre as consequências nas colonias com as posições adotadas nas metrópoles
    Parabéns!

  2. Antônio
    Belo texto…
    O bem e o mal caminham sempre juntos …
    Mas que pena que não fomos colonizados pelos ingleses 😂😂😘

  3. Antonio, teus textos são curtos, claros e ótimos no conteúdo, a leitura flui com facilidade. Boa ideia colocar uma foto sobre o assunto acima do texto. Super legal que você decidiu fazer este site! Vou contribuir. Parabéns

Deixe uma resposta para Angela Cancelar resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: